Projeto Trajetórias Artísticas Unifor apresenta exposições de Claudio Cesar e Totonho Laprovitera

A Universidade de Fortaleza – instituição da Fundação Edson Queiroz – apresenta, no próximo dia 12 de março, a partir de 19h, a abertura das exposições “Fabricando Elefantes Todos os Dias”, de Claudio Cesar, e “Colecionando Afetos”, de Totonho Laprovitera. As mostras levam a chancela do projeto Trajetórias Artísticas Unifor, que apresenta exposições de artistas cearenses nas galerias térreas do Espaço Cultural Unifor. As mostras têm curadoria da artista plástica e arquiteta Andréa Dall’Olio Hiluy e estarão abertas para visitação gratuita a partir de 13 de março, de terças a sextas, das 9h às 19h e, sábados e domingos, das 12h às 18h.

 

“O Trajetórias Artísticas Unifor é uma celebração do talento local, e escolhemos Totonho Laprovitera e Claudio Cesar para inaugurar esse importante projeto. Esta iniciativa é uma afirmação da riqueza e diversidade da produção artística no Ceará, mostrando que nossa cena é pulsante e merece destaque. Convidamos todos a mergulharem no universo desses dois incríveis artistas, descobrindo suas histórias e inspirações únicas”, celebra Lenise Queiroz Rocha, presidente da Fundação Edson Queiroz.

 

No dia 14 de março, às 9h30, haverá palestra da curadora sobre as exposições no Núcleo Diálogos, também situado no Espaço Cultural Unifor. Participarão do momento também Totonho Laprovitera e Renata Guimarães, filha única de Claudio Cesar, que, depois do falecimento do pai em 2018, assumiu a responsabilidade pela preservação e divulgação das obras do artista. Após a apresentação, os presentes poderão fazer perguntas aos convidados e, na sequência, serão convidados a fazer visita guiada às exposições. O evento é aberto ao público.

 

Andréa Dall’Olio adianta que a palestra abordará os processos curatoriais das exposições de Claudio Cesar e Totonho Laprovitera, destacando como cada mostra foi concebida e desenvolvida. Serão explorados os elementos-chave de cada exposição, desde a seleção das obras até a disposição espacial dentro do espaço expositivo.

 

“Discorrerei sobre como busquei apresentar a trajetória pessoal e artística de cada um, oferecendo ao público uma experiência reflexiva. Cada exposição será contextualizada dentro do cenário artístico cearense. Ao final, os participantes serão convidados a refletir sobre o papel da curadoria na construção de narrativas artísticas”, detalha.

1 COMMENTS

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos relacionados